Os melhores websites para encontrar emprego

 

Hey hey,

 

Há pouco recebi uma notícia muito chata: a minha irmã, Francisca, formada em design, ficou desempregada, após ter estado a trabalhar numa empresa durante quase 4 anos. Em conversa com ela, sei que já anda desesperada a procurar outro trabalho, mas ambos sabemos que isto está difícil, qualquer que seja a profissão. Porém, apesar de toda esta adversidade, eu sei que ela vai erguer a cabeça e conseguir ultrapassar esta fase menos boa, pois é uma pessoa muito lutadora e não desiste com facilidade.

 

Se também estás nesta posição e não sabes muito bem onde procurar emprego, vou dar-te os mesmos conselhos que dei à Francisca e indicar-te os quatro melhores websites onde podes procurar por um novo (ou primeiro) emprego.

 

 

  1. Net-empregos

 

O Net-empregos é um dos melhores e mais completos websites que existe em Portugal. Possui um leque muito extenso de opções, consoante as várias áreas disponíveis, e as ofertas são sempre abundantes e actuais. É mesmo um dos recursos mais fiáveis para as empresas que estão a procurar colaboradores, e é também um excelente local para procurares trabalho.

 

 

  1. Sapo Emprego

 

Também podes procurar por um trabalho no Sapo Emprego, pois é outro espaço de muita confiança, tanto mais não seja por pertencer à tão conhecida Sapo. Portanto, aconselho-te a vires aqui diariamente dar uma espreitadela. No entanto, apesar de encontrares ofertas de várias áreas, é também muito especializado em trabalhos de vendas, especialmente se for D2D e call center. Assim sendo, se não conseguires nada na área, e o desespero já for mesmo elevado, arrisca em qualquer coisa, e depois logo procuras algo melhor.

 

 

  1. Carga de trabalhos

 

Se és da área da comunicação, do marketing, da publicidade, do design ou do jornalismo, este é o website perfeito para ti, até porque é um dos mais conceituados e conhecidos. E não te preocupes com a precariedade, pois tanto encontras estágios não remunerados aqui, como encontras trabalhos com um pagamento bem justo. Só tens que procurar bem e enviar o teu CV para onde achares que te enquadras melhor.

 

 

  1. Jobtide

 

O Jobtide é o menos conhecido, mas já tem revelado um grande potencial ao ajudar milhares de pessoas a ultrapassar esta triste realidade do desemprego. Aliás, alguns amigos meus até já conseguiram trabalhos nas suas áreas através deste website, daí que confio plenamente no mesmo e te aconselho a consultá-lo com mais frequência.

 

Espero que te tenha ajudado com estes quatro recursos que aqui mencionei. Existem muitos mais, como já deves ter percebido, mas é preciso teres cuidado e tentares confirmar a veracidade das ofertas. Infelizmente, ainda há gente que se aproveita desta situação para explorar as pessoas e para enganá-las com propostas que em nada dizem respeito à realidade. Por isso, fica atento e nunca te esqueças que “se é bom demais para ser verdade, é porque, provavelmente, não o é”!

 

Posto isto, só me resta desejar-te boa sorte e só espero que encontres rapidamente um trabalho que gostes, que te preencha e, de preferência, para o qual tenhas estudado. Se precisares de mais algumas ideias, estou sempre disponível!

 

Fica bem,

 

João Pedro

As aplicações e redes sociais mais populares do momento

 Hey hey,

 

Como tens passado?

 

Já reparaste nesta febre maluca do Pokémon Go? Até os meus sobrinhos, de apenas 11 anos, já só pensam em apanhar as figurinhas, onde quer que elas estejam! E eu a pensar que este jogo não iria ter sucesso nenhum, visto que o Pokémon já estava mais do que ultrapassado… Bem, pessoalmente, não é jogo que me cative, muito menos tenho feitio para andar viciado nestas coisas, mas confesso que há aplicações que não dispenso no meu dia-a-dia, assim como algumas redes sociais. Curiosamente, todas pertencem à lista das mais populares do momento:

 

Redes sociais

 

Facebook: A verdade é que esta rede social chegou, viu e venceu. São raros os que não têm uma conta e são ainda mais raros os que nunca ouviram falar dele. E, se a sua criação não foi propriamente planeada, o seu desenvolvimento é minuciosamente pensado, quer pelo seu fundador, Mark Zuckerberg, como pelos empregados desta multimilionária empresa. Neste momento, podemos criar um perfil, páginas, grupos, falar com amigos através de publicações, comentários ou mensagens privadas, colocar anúncios, etc. É, ou não é, uma rede social que impressiona?

 

 

Twitter: O Twitter é o rei das mensagens curtas. Curiosamente, em Portugal não é tão usado como, por exemplo, nos Estados Unidos. O facto de só se poder enviar e receber tweets com o máximo de 140 caracteres, faz com que as mensagens tenham que ser curtas e, para terem o efeito pretendido, devem ser também claras e objectivas. O que faz todo o sentido, quando já ninguém tem paciência para andar a ler os “testamentos” dos outros na Internet! J

 

Instagram: Esta é mais uma rede social que fez – e faz – as delícias de muitos, principalmente dos mais fotogénicos e dos mais vaidosos. Selfies, pratos de comida, paisagens, qualquer coisa serve para mais um flash… e os viciados que o digam! Vá, eu confesso que sou um deles, por isso, se criticar, contra mim vou falar! Para mim, vale tudo, até mesmos situações para poder gravar, apesar de esta rede social ser maioritariamente usada para partilhar fotografias. E tu gostas tanto dela como eu, admite!

 

 

Aplicações

 

Facebook Messenger: Por alguns anos, o Facebook Messenger foi opcional. Agora, se instalares o Facebook no teu telemóvel, és obrigado a fazer o download do seu chat, caso queiras falar com as pessoas através dele. No entanto, mesmo com toda esta celeuma e revolta, por parte de muita gente, esta aplicação continua a ser uma das mais usadas e escolhidas pelos biliões de utilizadores de comunicações móveis. Por acaso, eu não a utilizo muito, prefiro a que vem a seguir!

 

 

WhatsApp: O WhatsApp é, sem dúvida, um outro recurso muito apreciado e usado por milhões. Apesar de ser muito parecido com o Facebook Messenger, o chat do WhatsApp tem uma enorme vantagem: funciona através dos números de telefone e não dos perfis. Por isso, basta que um amigo teu instale esta aplicação no telemóvel, para que possas comunicar com ele neste chat, tenha ele, ou não, um perfil online.

  

 

Snapchat: Apesar de não gostar desta aplicação – também vista como uma rede social – tenho que assumir que foi mais uma que ganhou facilmente fama entre os utilizadores, principalmente pela efemeridade das mensagens, o que a torna ainda mais apetecível. Como os snaps têm uma duração de muito poucos segundos e não ficam guardados (caso não se seja rápido a fazer um print screen), os utilizadores usam e abusam desta nova sensação, publicando coisas engraçadas e, até, vergonhosas ou impróprias. No fundo, até se compreende… o risco de não se ser apanhado dá sempre uma grande adrenalina, não é verdade?

 

 

De todas estas redes sociais e aplicações, só não uso o Snapchat. Já tentei fazê-lo, mas não achei piadinha nenhuma. Se calhar, estou a ficar velho demais para estas coisas ahaha! J E tu, o que tens instalado no teu smartphone?

 

 

Fica bem,

 

João Pedro

Diferenças entre o Iphone 6 e o Samsung Galaxy S6

 

Hey hey,

Preciso imenso da tua opinião… posso contar contigo? 🙂

Então é o seguinte: ando às voltas com a minha cabeça – isto já dura há semanas! – a tentar decidir qual dos telemóveis devo comprar, se o Iphone 6, se o Galaxy S6. Os meus amigos recomendam-me ambos, a minha namorada diz-me “Apple é Apple”, mas os meus pais só confiam no Android. Enquanto esta indecisão se arrasta por semanas, eu continuo sem poder ter um telemóvel decente para fazer as minhas coisinhas do dia-a-dia.

Comparando as principais características de cada um, creio que é ela por ela:

 

Iphone 6

  • Capacidade de 16 GB ou de 64 GB
  • Dimensões: 138,1 mm de altura, 67 mm de largura e 6,9 mm de espessura
  • Peso: 129 gramas
  • Ecrã retina HD, panorâmico multi-touch de 4,7 polegadas, com tecnologia LED e uma resolução de 1334 x 750 pixels
  • Processador A8 de 64 bits
  • Câmara iSight de 8 megapixels, com focagem automática, estabilização de imagem automática, sensor retroiluminado, detecção de rostos, fotografias panorâmicas, geolocalização de fotografias e modo de temporizador
  • Gravação de vídeo em 1080p HD, vídeo em câmara lenta, em time-lapse e com focagem automática contínua
  • Câmara FaceTime HD, com fotografias de 1,2 megapixels e gravação de vídeo em 720p HD, videochamadas FaceTime e chamadas FaceTime áudio
  • Permite fotografias e vídeo em simultâneo

 

 

Samsung Galaxy S6

  • Capacidade de 32 GB e 3 GB de RAM
  • Dimensões: 143,4 mm de altura, 70,5 mm de largura e 6,8 mm de espessura
  • Peso: 138 gramas
  • Ecrã com 5,1 polegadas e uma resolução de 2560 x 1440 pixels
  • Processador Octa-Core, com uma velocidade de 2.1 GHz
  • Câmara principal com focagem automática e uma resolução de 16 megapixels
  • Câmara frontal com resolução de 5 megapixels
  • Gravação de vídeo com uma qualidade UHD 4k

 

O que é que eu posso concluir daqui, para além de já saber que ambos são visualmente bonitos e que basicamente fazem o mesmo, no que respeita ao tipo de aplicações e características de navegação?

Concluo então que o Iphone 6 suporta uma capacidade de memória, tanto inferior, como superior, comparado com o Galaxy S6, que tem um tamanho maior e, consequentemente, pesa mais. O ecrã do Android também é ligeiramente maior e tem uma resolução melhor. Relativamente aos processadores, estes são completamente distintos, mas bons e rápidos. Da Apple já esperamos bons processadores e, relativamente à Samsumg, conferir ao telemóvel um processador Octa-Core, faz dele um potente telefone, como já seria de esperar.

O que realmente diferencia estes dois telemóveis são as características da câmara, sendo que é notória a superioridade da câmara do Iphone, a verificar também pelas inúmeras especificidades, tanto para gravar, como para filmar. No entanto, a câmara principal da Samsung tem uma óptima resolução e permite uma gravação de vídeo com uma qualidade bem avançada.

Já perceberam as minhas dúvidas, certo? A grande verdade é que Apple é Apple e o Steve Jobs não brincou em serviço quando criou esta marca, mas a Samsung tem mostrado grandes provas de ser uma empresa concorrente de peso. Acho até que ambas são as grandes rivais que encontramos neste momento no mercado.

Bom, agora só me resta ficar à espera da tua ajuda! Não me deixes na mão, por favor!J

 

Fica bem,

João Pedro

Câmaras de smartphone: a nova geração de fotógrafos

 shutterstock_201234515

Hey hey,

Estás preparado para conhecer a vida, as dúvidas e as dicas de um fotógrafo? Então vieste ao sítio certo! E, para abrir este blogue, vou revelar um dos grandes segredos que guardam muitos dos fotógrafos profissionais que entraram para esta indústria há pouco tempo!

Mas, antes de o revelar, gostava que percebesses que a geração mais antiga de fotógrafos começou a trabalhar com as máquinas fotográficas mais rudimentares e, sempre que estas iam evoluindo, os profissionais também se adaptavam às mudanças. Só que chegou um momento – este enorme boom digital – que fez mudar muitas coisas: costumes, ideias, vícios, até a forma como se trabalha nas diversas profissões. A fotografia não escapou. Este novo mundo digital e tecnológico permitiu então que nascesse uma nova geração de fotógrafos, que já não aprendeu nem se habituou a usar as câmaras fotográficas convencionais, e que prefere trabalhar apenas com o seu smartphone.

O mais curioso é que muitos fotógrafos fazem segredo disto, pois não querem passar a ideia de que não têm competências para trabalhar com uma máquina tradicional. Mas há quem não se importe de dar a entender que prefere, de facto, fotografar com o telemóvel. Eu, confesso, sou da velha guarda, já trabalho há 15 anos nesta área e nunca dispensei a máquina fotográfica profissional e as minhas seis objectivas, mas tenho colegas, com mais anos de profissão, que se adaptaram rapidamente a esta grande mudança. E eu não tenho nada contra, pois cada um escolhe o que quer!

“São mais leves, melhores para transportar e têm a mesma qualidade que as máquinas convencionais”, disseram-me há uns tempos! Bem, posso até concordar, mas há hábitos que eu não consigo perder, por exemplo, o de colocar os dedos de determinada forma na câmara e usar os meus conhecimentos para captar as imagens com as características que eu quero. Para mim, essa é a grande essência dos fotógrafos. Brincando, mas de forma a perceberes melhor, é a diferença entre conduzires um carro com uma caixa de 6 velocidades e depois passares para um com mudanças automáticas… é mais fácil, mas já não tem tanta piada! :):)

Máquina fotográfica vs smartphone, qual escolherias se fosses fotógrafo?

João Pedro